Presidente do Sinpojud critica Edital de Relotação de servidores

28 Jun 2018
O Edital de Relotação republicado pelo Tribunal de Justiça da Bahia, em 25 de junho, no Diário da Justiça Eletrônica e que abre inscrições para relotação de servidores no âmbito do primeiro grau em todas as Comarcas do estado encontra diversas incoerências.
Esse é o entendimento da Diretoria Executiva do Sinpojud.
Ao citar em seu teor que há vagas excedentes nas unidades judiciais de primeiro grau, trata-se de uma informação infundada. Sabe-se que há uma enorme lacuna de servidores, baseado num deficit exacerbado de trabalhadores, que vem sobrecarregando esses servidores levando-os até mesmo ao adoecimento.
“A solução seria convocar os servidores de cadastro reserva para preencher inúmeras vagas existentes nos cartórios e não relotar os que já se encontram sobrecarregados. Seria 'tampar um buraco e destampar o outro', critica o presidente Castro.
O presidente ainda cita outra incoerência do edital em questão. O Tribunal não especifica os cargos que SUPOSTAMENTE são excedentes. Além disso a administração deve levar em consideração que os servidores que não optarem pela relotação serão relotados compulsoriamente.
Tal atitude desconsidera e desrespeita a vida do trabalhador que prestou concurso para aquela comarca que reside e já tem sua vida toda estruturada naquela localidade. Família, residencia, acesso à educação de seus filhos, carreira e trabalho de seus conjuges. Enfim, o TJBA deve lembrar que está lidando com vidas.
O Sinpojud não aceita esse edital nos trâmites a que foi publicado e através de seu presidente garante que tomara as medidas cabíveis para garantir que os servidores permaneçam nas unidades de suas respectivas lotações.