A Tarde - Maioria dos pré-candidatos do PT defende prévias para definir postulante em Salvador

  • Publicado: 14 Fev 2020, 09:56
  • 15 Visualizações

Apenas um entre os quatro pré-candidatos do PT colocados até então defende abertamente a realização de um encontro de delegados, e não prévias, para definir o postulante da legenda à prefeitura de Salvador.

No próximo sábado (15), o diretório municipal da sigla se reúne para decidir qual método adotará. Nas prévias, todos os filiados têm direito ao voto, e não somente os delegados.

“[Defendo] A decisão mais rápida possível, porque nós temos que enfrentar e derrotar Bruno Reis. Pelas regras regimentais, é o encontro”, diz o deputado estadual Robinson Almeida.

“Porque você convoca o encontro com base nas chapas eleitas no último PED [processo eleitoral interno do PT] e pode realizar em um prazo de, no máximo, 30 dias. Creio que a primeira quinzena de março seria o prazo ideal. Nas prévias, tem os dois turnos: se nenhum candidato chegar a mais de 50%, tem que ter uma nova rodada 15 dias depois do primeiro turno”, argumenta.

A secretária Fabya Reis, de Promoção da Igualdade Racial, não revela o seu processo preferido. “Podemos chegar ao entendimento de que é melhor prévias ou encontro. A princípio não tenho essa posição fechada”, diz.

A socióloga Vilma Reis tem encampado a luta pelas prévias, que também são defendidas pelo ex-ministro da Cultura Juca Ferreira.

“Tenho mais simpatia pelas prévias, mas acho que o encontro também pode representar o desejo do partido”, reconheceu Juca. “Minha expectativa é de que o diretório opte por um processo democrático, que os pré-candidatos possam discutir e a militância possa compreender as diferenças entre cada um, e que haja uma definição que não seja de cima para baixo”, diz Juca.

Há insatisfação entre petistas com o movimento recente feito pelo governador Rui Costa, que defende a major Denice Santiago, da Polícia Militar, como candidata do partido em Salvador.

Voltar | Versão para Impressão