CNJ constata adoecimento excessivo de servidores do judiciário baiano

  • Publicado: 27 Nov 2017
  • 913 Visualizações

Estudos feitos pelo Departamento de Pesquisas Judiciárias (DPJ) do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), divulgado nesta terça-feira (21), com a utilização de dados dos tribunais do país, revelam que os servidores do Poder Judiciário do Estado da Bahia são os que mais adoecem. A constatação se deu através da quantidade de atestados médicos apresentados pelos servidores em 2016, em virtude de problemas de saúde.

O presidente do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Estado da Bahia - Sinpojud, Zenildo Castro informa as causas do adoecimento dos servidores. “Os servidores do judiciário estão sobrecarregados de trabalho, em virtude a um déficit informado pelo próprio CNJ de cerca de 25 mil servidores nas comarcas do estado, além disso a demanda dos processos tem aumentado e estes servidores têm que cumprir metas de produtividade estabelecidas pelo próprio CNJ”, avalia Castro.

Outro fator importante que tem acarretado o adoecimento dos servidores é a falta de ergonomia, diante da realidade da digitalização dos processos. Estes trabalhadores chegam a passar horas diante de um computador e sem nenhuma ergonomia para isso.

O relatório apresentado pelo CNJ, com os dados apresentados pelo TJBA é incompleto, já que apenas compara o número de falta de servidores em relação a outros estados sem levar em consideração as causas do adoecimento. O que suscita um desconforto e indignação na categoria, que além de estarem com a saúde comprometida com tantos agravantes se sentem injustiçados.

O Sinpojud vai intensificar ainda mais a luta por melhoria e qualidade de vida para esses profissionais, na busca por soluções para esses problemas que colocam a Bahia no patamar de um judiciário adoecido em virtude de elementos externos já apresentados excessivamente pelo Sindicato.

Foto Ilustração Google


Voltar | Versão para Impressão