Escrivães esclarecem dúvidas com diretoria durante reunião

  • Publicado: 24 Nov 2017
  • 688 Visualizações


O presidente do Sinpojud, Zenildo Castro e os diretores, Jorge Cardoso e Luiz Félix “Quixabeira” se reuniram na manhã desta sexta-feira (24) com um grupo de escrivães. O encontro foi solicitado pelos servidores, que vieram do interior para esclarecer algumas dúvidas com a Diretoria Executiva.

Durante a reunião os escrivães dividiram com os diretores as dificuldades que cada um enfrenta como a falta de servidores e as situações precárias de cada comarca. Além disso, o presidente do Sinpojud passou os informes para os servidores e explicou quais medidas estão que estão sendo tomadas pelo sindicato sobre a Resolução n° 18 e a desativação das comarcas.

O presidente do Sinpojud ressaltou a situação que os trabalhadores públicos estão vivendo país e afirmou que o sindicato está lutando para que os servidores do judiciário baiano não percam mais direitos. “Estamos vivendo uma situação assustadora em todo país, mas estamos lutando para que os trabalhadores do judiciário baiano não sejam ainda mais prejudicados. Estamos buscando através de ações judiciais manter os direitos dos servidores e buscando soluções junto ao Tribunal de Justiça para que possamos trabalhar com dignidade. Precisamos nos manter unidos nesse momento difícil, para alcançarmos a vitória”, destacou Castro.

Para o oficial de justiça, Davi Rocha, da Comarca de  Nova Soure, que também  já exerceu a função designada de escrivão dos feitos criminais, a reunião foi produtiva e esclarecedora. “Tivemos a necessidade de nos reunir com a diretoria do Sinpojud, devido os inúmeros ataques que os servidores vêm sofrendo do Tribunal de Justiça, como a resolução n° 18, publicada recentemente, que afetou as comarcas de entrância inicial e criou-se clima de insegurança e precarizou os serviços nessas comarcas. Queríamos saber quais as medidas que o sindicato estava tomando para combater essas medidas e obtivemos as respostas das indagações que tínhamos. Voltamos para nossas comarcas um pouco mais tranquilos diante das respostas que obtivemos e das soluções apresentadas para essas demandas que o Sinpojud se comprometeu em abraçar”, conclui o servidor.

Voltar | Versão para Impressão